PROMOTOR DE JUSTIÇA VALDIR DE FREITAS DANTAS MORTO EM 19.03.1998
25/11/2016 10:53

 

Valdir de Freitas Dantas natural de Aracaju/SE, filho de José Dantas e Valdete de Freitas Dantas, tinha três irmãos. Casado com a Sra. Isaura Maria Querino Dantas, tendo desta união nascido três filhos: Renato Querino Dantas, Renoir Querino Dantas e Isadora Querino Dantas.

Cursou suas primeiras Letras no Instituto Santa Luzia, passando pelo Colégio Jackson de Figueiredo, fazendo seu curso médio na Escola Técnica Federal de Sergipe onde formou-se em Edificações e, diversificando ainda mais seus co­nhecimentos, dedicou-se aos estudos das Artes (Cinema, Teatro e Literatura) empenhando-se no estudo da Antropologia Cultural Brasileira.

Mesmo com imensas dificuldades para graduar-se em Direito na Universidade Federal de Sergipe, estudou com livros emprestados e doados por colegas, galgou ingresso por Concurso Público na honrosa carreira de Promotor de Justiça no Ministério Público do Estado de Sergipe, onde desempenhou suas tarefas com dignidade e honradez. Como profissional do Direito, lecionou nos cursos de Administração e Contabilidade dos Colégios Senhor do Bonfim e Dom José Tomaz, pontificando como professor do Curso de Direito da Univer­sidade Tiradentes, nas cadeiras de Direito Civil, Direito Penal e Processual Penal.

Era um entusiasta na defesa da sociedade. Combatia práticas nocivas como a corrupção e a improbidade administrativa, até o dia 19 de março de 1998, quan­do, covardemente, ceifaram-lhe a vida. Certamente foi interrompida uma das mais brilhantes carreiras de um profissional do Direito.

A emboscada que vitimou o Promotor de Justiça aconteceu no entroncamento da cidade de Cedro de São, em março de 1998. Ele investigava uma rede de corrupção envolvendo lideranças políticas da cidade.

Oportuno render um tributo ao seu trabalho e à sua imagem de profissional dedicado, zeloso e obstinado. Seu legado, em razão do exemplo de atuação, se traduz na contundente vontade do Ministério Público em atuar em favor da sociedade, na incessante busca de justiça.

 


 

Histórico dos Processos a que respondem os assassinos

RÉUS:

1. LU IZ DELFINO DE SOUZA - JULGADO EM 26.04.2001 - CONDENADO A19ANOS, 10 MESES E 15 DIAS.

2.NILTON FÉL1X- JULGADO EM 26.04.2001 -CONDENADO A22 ANOS E 11 MESES.

  1. JOSÉ HONÓRIO RODRIGUES NETO-JULGADO EM 22.11.2001 -CONDE­NADO A20 ANOS.

  2. RICARDO LUÍS SANTOS COSTA-JULGADO EM 22.11.2001 -CONDE­NADO A20 ANOS.

  3. RUI OLIVEIRA DOS ANJOS- JULGADO EM 22.11.2001 -ABSOLVIDO.

  4. FRANCISCO MELO DE NOVAES-JULGADO EM 02.05.2002-CONDENA-DOA18 ANOS E06 MESES. RESPONDE EM LIBERDADE.

  5. KLÉBERGONÇALVES DE MELO-PROCESSO INICIALMENTE DESAFa RADO PARA COMARCA DE ARACAJU/SE. FOI NOVAMENTE DESAFO­RADO E AGORA ESTÁ NA COMARCA DE JAPARATUBA, CONCLUSO DESDE09.01.2008. AINDANÃO HOUVE JULGAMENTO.

  6. ENOCK PEDRO DA SILVA-JULGADO EM 30.03.2004, TENDO SIDO CON­DENADO A 18 ANOS E09 MESES.

ASCOM (MP/SE)



PROCURADORES GERAIS
ENTREVISTAS
EXPOSIÇÕES
MINISTÉRIO PÚBLICO DE SERGIPE
AV. CONSELHEIRO CARLOS ALBERTO SAMPAIO, 505 CENTRO ADMINISTRATIVO GOV. AUGUSTO FRANCO - Bairro: CAPUCHO - ARACAJU SERGIPE - CEP: 49081-000
caop@mpse.mp.br - Tel:79-3209-2400